Sunday, February 18, 2007

Fatos estranhos

Hoje aconteceu uma coisa muito estranha comigo. Acordei às 11 horas da manhã. Olhei no despertador e me dei conta quanto tempo já tinha se passado. De uma hora para a outra passaram-se 35 anos. Isso mesmo, ontem eu fui dormir e eu ainda era uma menina que sonhava com um futuro brilhante, uma carreira meteórica, um resgate por um cavaleiro vestindo uma armadura brilhante, filhos correndo pela casa, uma casa grande, com cachorros, carros na garagem, tecnologia de ponta para tudo quanto é lado. Acordei hoje e 35 anos tinham passado e nada do que sonhei acontecera.
E sabe o que foi mais estranho do que tudo isso?
Perceber que tudo aquilo era sonho bobo de menina imatura. Perceber que o que tenho hoje é melhor do que qualquer coisa que jamais sonhei. Meu presente não é brilhante, mas é polido o suficiente para me deixar feliz, a carreira meteórica não aconteceu, mas aprendi que trabalho não vale nada perto de chegar em casa e poder relaxar do lado de quem se ama. O cavaleiro não veste armadura brilhante, está mais para calças jeans velhas, mas me ama e me protege das coisas ruins que acontecem fora do BBB da minha casa. Os filhos não correm pela casa, AINDA! Os cachorros eu tenho, mas a casa grande não veio. Tanto melhor, não preciso limpar tanto. Tenho meu apartamento (que não é meu, mas é meu!) cômodo e arrumadinho do meu jeito num lugar ideal. Carros na garagem eu tenho, podem não ser BMWs, mas andam daqui pra lá e servem o seu propósito com perfeição. Tecnologia de ponta não é exatamente a definição que pode ser usada para o meu bom e velho computador, e demais eltro-eletrônicos aqui em casa, mas funcionam e me distraem de montão.
Precisei de 35 anos para perceber que os sonhos são os sonhos. Os sonhos alimentam nossa vontade de seguir em frente. Mas é a realidade que nos faz feliz!

(nota ao leitor - Derrepente está escrito errado, tenho plena ciência desse fato... mas, em 35 anos, aprendi que tem horas que temos que aceitar nossos erros e seguir em frente, deixando-os para trás, sem tentar corrigir o que já passou!)

1 comment:

Angela said...

Mari, e não é que em todo aniversário eu me sinto assim? e quando seus filhos(pq com certeza serão vááários)fizerem aniversário, essa sensação virá com mais força....e vc se lembrará ainda mais da menina sonhadora, e vai adorar sua realidade simples e feliz!
bjos